segunda-feira, 1 de junho de 2015

Roseira 'Fairy Rood'




Floração: Contínua.
Diâmetro da flor: 3 cm.
Perfume: Sem perfume.
Dimensão adulta: Altura até 0,60 metro, largura até 0,60 metro.
Folhagem: Caduca.
Tipo de solo: Todos excepto os demasiados úmidos.
Clima: Rústico até -20°C.
Exposição: Meia-sombra ou ao sol pleno.
Distância de plantação: Com 40 cm de distância entre cada uma.


Características e utilizações:
A roseira 'Fairy Rood'® tem uma floração contínua, flores duplas de um rosa escuro. Esta robusta roseira, de porte alargado, é muito interessante para ser utilizada como cobre-solos ou em forma de maciços.

domingo, 26 de abril de 2015

Nosso Bem Maior



O crescimento populacional, a industrialização, a expansão da agricultura e as mudanças climáticas, fenômenos inerentes ao desenvolvimento do país, vêm, constante e inevitavelmente contribuindo para o processo de degradação e escassez dos recursos hídricos. Não é necessário maiores entendimentos técnicos para compreender que, do fenômeno da intensa urbanização fatalmente decorrerá aumento da demanda - seja para seu consumo, seja com relação à descarrega de recursos hídricos contaminados, sendo fundamental que a infraestrutura de abastecimento acompanhe este fenômeno, que ao meu ver veio para ficar.
Soluções a curto, médio e longo prazo precisam ser estabelecidos, levando em conta o aumento populacional e as atuais condições climáticas que tendem em modificar gradualmente pelos diversos ataques sistemáticos do homem no meio ambiente. 
É preciso a consciência de que valores gastos hoje com investimentos serão mínimos diante dos grandes impactos econômicos e sociais pela falta d´água nos anos vindouros, a água deve ser tratada como ela realmente merece, o bem mais precioso que temos, depois da vida, é claro.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Recifes - Recriados Artificialmente



Enquanto muitos ignoram a destruição do Planeta e seus recursos naturais, uma pequena parcela luta para criar condições necessárias para melhorar o meio ambiente.
No intuito de criar zonas de interesse para peixes, vagões velhos ou inutilizados estão sendo jogados no oceano e com isso diversos animais marinhos estão sendo atraídos para estes locais, formando assim novos recifes.
Os benefícios vão além da criação de novos recifes, já que estes novos locais podem ser melhor explorados por fotógrafos e mergulhadores, sem causar danos aos recifes naturais que são mais frágeis e sensíveis.
A prefeitura de Nova York destina os vagões que não podem mais ser recuperados, mas é possível encontrar também no fundo do mar, aviões e navios que já se transformaram em parte integrante da vida marinha.
Não há informações de quanto tempo vai demorar para que os novos habitats estejam totalmente ocupados.


No Brasil a Associação MarBrasil faz um trabalho semelhante descartando blocos de concreto na costa paranaense para servirem de moradia para a vida marinha, tudo com a autorização do Ibama, é claro.
Do ano de 2010 até 2013, durante a primeira fase do projeto, foram criados na costa paranaense mais de 3 mil recifes artificiais, visando recuperar e conservar a vida de espécies marinhas.
O Projeto Rebimar constatou uma rápida colonização dos blocos de concreto, mas ainda não é possível avaliar a produção dos recifes e sua influência na pescaria artesanal, embora haja relatos de pescadores do entorno afirmando o aumento de peixes na região.






Números Ecológicos - Parte ll




A China desponta como grande potência mundial na produção de produtos nos últimos anos, a quantidade é imensa se comparada em relação a produção de outros países do Planeta. Mas essa alta produção tem um custo muito alto para todos, o impacto desse desenvolvimento afeta diretamente toda a humanidade de uma forma negativa. Mais produtos, mais carros, mais consumo, mais poluição, e menos capacidade de renovação de ar, consequentemente mais aquecimento causado pelo "efeito estufa".
Segundo a Agência de Avaliação Ambiental da Holanda, a China desde 2006 é o país responsável por lançar a maior quantidade de dióxido de carbono no meio-ambiente. Estima-se que ela sozinha tenha lançado mais de 6,2 bilhões de toneladas de CO2 na atmosfera, tudo em nome do desenvolvimento industrial e da evolução tecnológica. Os Estados Unidos não ficam muito atrás nestes números, estima-se que aquele país lançou cerca de 5,8 bilhões de toneladas de CO2 no ar e o reino Unido, por sua vez, produziu 600 milhões de toneladas deste elemento nocivo ao planeta.
A tecnologia disponibilizou mais recursos na produção de novos produtos, mas ninguém pensou como esta evolução prejudica nossa forma de viver. Os novos lançamentos de produtos inundam o comércio com novidades e estimulam o consumo excessivo de bens que acabam se tornando obsoletos em bem pouco tempo, e que acabam sendo descartados de forma nociva no meio ambiente, prejudicando e contaminando o Planeta. 
Fica a pergunta: Será que precisamos de tanto consumismo desenfreado? Pelo que eu saiba ainda não inventaram um dispositivo capaz de nos oferecer o básico para viver: Oxigênio, portanto, todo o resto é dispensável em nossas vidas, pense nisso antes de adquirir mais produtos. 
O Planeta agradece.

Estado de Atenção



A revista Science Magazine divulgou  uma estimativa da quantidade de lixo plástico descartado nos oceanos em 2014. 
O estudo divulgado pela revista Science pesquisou os quase 200 países que são banhados pelos mares e oceanos e os índices são alarmantes.
Estima-se que cerca de 15 sacolas cheias de lixo plástico são descartadas a cada metro de praia durante um ano, só a China descarta cerca de nove milhões de toneladas de lixo plástico durante um ano.
Neste triste ranking do lixo, a Indonésia ocupa o segundo lugar, o Brasil é o 16º colocado, a frente dos Estados Unidos que ficam na 20ª posição.
Desse lixo que não é descartado, coletado e nem tratado adequadamente, sai o que polui os mares. Em 2010, os 192 países produziram, juntos, 275 milhões de toneladas de lixo plástico. Só nos litorais, foram quase cem milhões de toneladas. Oito milhões foram parar nos oceanos. E só uma pequena parte ficou flutuando, quase tudo foi para o fundo. 
O plástico está se acumulando no fundo dos oceanos e vai demorar décadas para se degradar.

A diminuição na produção de lixo no mundo deve ser estimulada e a coleta e reciclagem podem ser aliadas para combater esta prática tão prejudicial ao planeta. Fato é que mudanças no comportamento devem ser imediatas, o planeta não aguenta mais tanto descaso. 
A WWF Brasil estimula o consumo consciente e a diminuição do impacto prejudicial do Homem no Meio Ambiente, vale a pena visitar o site e conhecer melhor as maneiras, para contribuir com um mundo melhor para todos. 

www.wwf.org.br


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Perigos - Dama-da-noite



Algumas pessoas tendem a sofrer com dor-de-cabeça ao exalar o perfume da Dama-da-noite (Cestrum nocturnum), pertencente a família das solanáceas, isso acontece por que a Dama-da-noite é uma planta que tem propriedades tóxicas para animais de sangue quente, por exemplo, o gado.
As folhas não devem ser ingeridas pelo gado pois causam intoxicação, afetando os sistemas gástrico e neurológico.
Seu perfume não é tóxico, mas pode causar eventuais dores de cabeça, apenas por ser muito forte.

sábado, 29 de março de 2014

Evolução do Verde


Apresentada na Casa Cor de São Paulo 2011, a Bacsac é um tipo de sacola ( ou vaso ) que virou tendência entre os amantes da Natureza para cultivar plantas, flores e até verduras, tornando-se mais uma das boas soluções ecológicas apresentadas pelo mercado do paisagismo.
A Bacsac é permeável à água e ao ar, produzida com tecido 100% ecológico super resistente que evita rasgos e possui vida útil de longa duração. Elaborada com tecido geotextile que suporta o acondicionamento de espécies de médio e grande porte com muita elegância e sofisticação, são produzidas em diversos tamanhos e formas.
A Bacsac é resistente a geadas e tem proteção anti-UV o que evita deteriorar ou desbotar sob o sol. Os tamanhos e o formatos da Bacsac são muitos, mas a qualidade e as funções ecológicas são as mesmas, se tornando uma solução “coringa”, na hora de montar seu projeto de jardim ou horta caseira. Todas as inovações de sentido ecológico no paisagismo, são sempre muito bem acolhidas pelos profissionais da área, principalmente nestes tempos onde se procura preservar mais o valor ecológico do que o custo benefício, sendo assim a Bacsac representa um investimento de valor bem superior do que as demais possibilidades disponíveis no mercado, mas com um excelente retorno para a Natureza. Vale a pena investir nesta ideia.

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites More